segunda-feira, julho 7

não

uma antinomia não resolve nada: existencialmente, os paradoxos são muito mais do que dúplices. esta música, por exemplo, esta música é para fazer analepses.
#
tantas palavras, tantos livros e dicionários, tantas posições estéticas, filosóficas, sexuais e eu nunca sei do que estou a falar. vivo em estado de decifração e o tempo não é claro enigma.
#
os pássaros sim, deviam ser azuis, e o céu branco, alvíssimo: o mundo tem muitos erros cromáticos, talvez os daltónicos estejam a ver tudo melhor.
wittgensteinianamente, daltónicos e disléxicos poderiam ser apenas teimosos.

4 comentários:

Soneca disse...

Oh, como eu te compreendo! Concordo totalmente com a não redução dos paradoxos a meras duplicidades. Mas enfim... Se calhar é por gostar muito de cinzento que encontro tantas tonalidades deste entre o preto e o branco. E já que falei em cores, eu também já dei conta de algumas distracções cromáticas! Era tão bom se pudéssemos fazer as nossas próprias colorações :)

Adorei a ideia de que os daltónicos são teimosos cromáticos. Dá-lhes muito mais personalidade. LOL!

volpato disse...

Prezada Ale

Escrevo do Brasil. Parabéns pelo seu blogue. Por favor, pode me dizer de onde saiu esta foto do Shaw na praia? Acho que ficaria excelente na capa de um livro que estou a pensar (sou escritor), mas precisaria consultar os direitos. Poderia me ajudar?
Um abraço brasileiro.
Cadão Volpato

ale disse...

olá,

obrigado, a fotografia foi retirada deste endereço, mas, infelizmente, desconheço qualquer outro pormenor...

abraços,
ale

ale disse...

este é o endereço, esqueci-me dele: http://www.lse.ac.uk/library/library_news/summ06_issue2/shaw.jpg

Kantianos